Livros Infantis Antigos: (1969) "Chuva Que Não Acaba Mais", de Maria Mazzetti

 

 

 


Dados originais do Livro:
Título: Chuva Que Não Acaba Mais
Autora: Maria Mazzetti
Ilustrador: Danilo Abbês
Editora: Ao Livro Técnico S.A. / Coleção Curupira
Ano: 1969

 


Sobre o livro:
Chuva, chuva! O quanto uma tempestade pode atrapalhar nossa rotina? E é exatamente sobre isso que trata o livro "Chuva Que Não Acaba Mais", onde uma simpática lavadeira (ou libélula) chamada Doquinha trabalhava muito lavando roupas para outras criaturinhas e recebendo, em troca, muitos tostões furados. Como seu trabalho necessitava de dias quentes e ensolarados, quando a chuva decidiu cair por vários e vários dias, sua vida virou uma grande bagunça. As trouxas de roupas se amontoavam dentro de sua casa – aliás, ela morava dentro de um pote de pó-de-arroz muito charmoso – deixando a lavadeira desesperada. 

 

 

E como a chuva não parecia dar trégua, a própria Doquinha foi resolver a situação. Decidiu visitar a casa da Dona Chuva, no céu. Deste modo, saiu com seu carrinho de sabão – última moda entre as lavadeiras – e foi até lá. E para a sua surpresa que Dona Chuva estava com problemas, pois sua máquina de lavar havia quebrado e ela não sabia lavar roupas na mão. Ela estava pendurando suas roupas sujas nas cordas de arco-íris e jogando bastante água para tentar limpá-las. Por isso não parava de chover. Aí dona Doquinha resolveu ajudar, lavando todas as suas roupas. Dona Chuva, agradecida, cessou o aguaceiro e deu a Doquinha muitos tostões furados e alguns presentinhos: Relâmpagos (para que passasse roupas quando o ferro quebrasse), guarda-chuvas e aguaceiros enlatados. Assim, a lavadeira voltou para casa muito feliz. Lavou todas as roupas, ganhou muito dinheiro, comprou um carro novo e colocou uma placa luminosa em sua casa, que dizia: “Doquinha, a lavadeira maravilhosa, cobra um tostão furado e passa com um relâmpago e que nem relâmpago!!”

 

 


As ilustrações são bem simples, mas combinam com a linguagem utilizada no texto. 

 

 


De forma geral, a história é criativa. O livro é ideal para crianças bem pequenas.


 

Sobre a autora:
Maria Mazzetti nasceu 1926, no Rio de Janeiro, e morreu em 1974. Foi professora primária e técnica em educação. Escreveu várias poesias e histórias infantis.


 

Sobre o ilustrador: 
Sem informações disponíveis sobre o ilustrador.

 


Trecho do livro:
“A lavadeira Doquinha morava na beira do rio, dentro de uma caixinha velha de pó-de-arroz. Era uma casa muito moderna com paredes só de espelho.”


 

Fontes:
- http://educadoradevanguarda.blogspot.com.br/2011/07/maria-mazzetti.html

 

 


 

Please reload

Andreia Marques é filósofa, escritora, poetisa, mediadora de leitura,  blogueira e designer.

Autora dos livros "Bééé Daqui... Bééé Dali!", "Quibungo", ”Berenice, a Cacatua”, “Melina e as Borboletas Noturnas”, “A Velha Pisadeira”, “Corpo Seco” e "Corda, Cordão e Muita Imaginação!".

Siga-me
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • Pinterest Social Icon
Meus Livros
capa.jpg
capa.jpg
Berenice, a Cacatua
capa.jpg
capa.jpg
capa.jpg
capa.jpg
Parceiros
Brasão Nerd
Love Livros
Editora LivroseBooks
Prosinhas Literárias
Mami em Dose Dupla
GAEB
Universo de Utopia
Justi Books
40659668_2265369973684221_31192417527293
Portal Literal
Categorias
Arquivo
Please reload

  • Andreia Marques - Fanpage
  • Andreia Marques - Instagram
  • Andreia Marques - Pinterest


Política de Privacidade


Copyright © 2015-2019 Andreia Marques