Dica de livro infantil: "O Menino do Dedo Verde", de Maurice Druon

13/5/2019

 

Tistu era um menino rico, que morava em uma mansão (Casa-que-brilha), em um lugar chamado Mirapólvora. Seus pais eram donos de uma fábrica de canhões – a maior do mundo.

 

Quando completou oito anos, ele foi para a escola, mas foi expulso no terceiro dia porque dormiu durante a aula. Seus pais, então, decidiram que estudaria fora da escola, observando a vida e tirando suas próprias conclusões. E já no primeiro dia dessa nova experiência, o garoto descobriu, com o jardineiro Bigode, que possuía um dom muito especial. Ele tinha o dedo verde, ou seja, onde ele tocasse, com seu pequeno polegar, surgiriam plantas, ramos e flores. Assim, Tistu decidiu modificar o mundo com seu dom, quando se deparou com a existência de injustiças, violências e infelicidades.

 

 

As ilustrações são um primor; simples, mas autênticas na missão de dar vida ao mundo através do olhos do pequeno Tistu. Jacqueline Duhême utilizou-se apenas de traços a nanquim e muita criatividade para compor os personagens e os cenários da obra.

 

 
O livro é de uma sensibilidade comovedora. A visão do de Tistu a respeito das questões chocantes da vida e, principalmente, sua inquietude e inconformismo diante dessas situações, faz a gente pensar no quanto o mundo seria mais feliz se tivéssemos um tantinho da inocência e da coragem do menino.

 

 


 

 

Sobre o autor:

Maurice Druon nasceu em Paris, em 1918, e morreu em 2009. Era escritor e decano da Academia Francesa de Letras

Imagem de ISFDB.

 

 


 

 

Sobre a ilustradora:
A francesa Jacqueline Duhême nasceu em 1927. É ilustradora e escritora. 

Imagem de Babelio.

 

 

 


Curiosidades: 
- Dom Marcos Barbosa, tradutor do livro O Menino do Dedo Verde para o português foi o mesmo que traduziu, também para o português, o livro O Pequeno Príncipe. Ele era um monge beneditino.
- Maurice Druon tinha um bisavô brasileiro, chamado Odorico Mendes, que foi escritor, jornalista e político no Maranhão.

 

 


Trecho do livro:
Porque as pessoas grandes, sobretudo de nariz grande, rugas na testa e cabelo no ouvido, estão sempre beijando as criancinhas de face macia e rosada. Eles dizem que as crianças gostam, e isto é outra das ideias que inventaram. Porque são eles, os grandes, que gostam, e as crianças de face macia e rosada são muito boazinhas em prestar-se a isso.”

 

 


Fontes:
- http://pt.wikipedia.org/wiki/O_Menino_do_Dedo_Verde
- http://pt.wikipedia.org/wiki/Maurice_Druon
- http://fr.wikipedia.org/wiki/Jacqueline_Duh%C3%AAme
- http://pt.wikipedia.org/wiki/Marcos_Barbosa

 

 

 

Please reload

Andreia Marques é filósofa, escritora, poetisa, mediadora de leitura,  blogueira e designer.

Autora dos livros "Bééé Daqui... Bééé Dali!", "Quibungo", ”Berenice, a Cacatua”, “Melina e as Borboletas Noturnas”, “A Velha Pisadeira”, “Corpo Seco” e "Corda, Cordão e Muita Imaginação!".

Siga-me
  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • Pinterest Social Icon
Meus Livros
capa.jpg
capa.jpg
Berenice, a Cacatua
capa.jpg
capa.jpg
capa.jpg
capa.jpg
Parceiros
Brasão Nerd
Love Livros
Editora LivroseBooks
Prosinhas Literárias
Mami em Dose Dupla
GAEB
Universo de Utopia
Justi Books
40659668_2265369973684221_31192417527293
Portal Literal
Categorias
Arquivo
Please reload

  • Andreia Marques - Fanpage
  • Andreia Marques - Instagram
  • Andreia Marques - Pinterest


Política de Privacidade


Copyright © 2015-2019 Andreia Marques